icones-03

 

Responsabilidade Ambiental

As atitudes da Adami S/A levam em conta o crescimento econômico ajustado à sustentabilidade atual e para as gerações futuras.


Na Unidade de Negócio Florestal, faz-se o Monitoramento Ambiental Qualitativo, procedimento que visa a melhoria contínua das atividades executadas e utilizadas como ferramenta para a tomada de decisões, buscando medidas mitigadoras e preventivas mais restritivas ou a manutenção das atuais, conforme a situação de cada área, de possíveis impactos ambientais que elas possam ocasionar. O procedimento é realizado por uma metodologia preestabelecida e visa avaliar antes e depois da execução dos trabalhos de campo.
Os resultados obtidos nos últimos anos demonstram que as técnicas adotadas na execução das atividades florestais, dos treinamentos constantes dos colaboradores e na busca por novos e modernos equipamentos, estão refletindo positivamente na forma de condução dos trabalhos nas Unidades de Empreendimentos Florestais da empresa.


PRODUÇÃO DE MUDAS

Para suprir o consumo em outras Unidades de Negócio, além de manter o plantio e reforma das suas florestas produtivas, a empresa possui um viveiro florestal onde se faz a produção das mudas de Pinus taeda, com sementes oriundas de Pomares Clonais de Sementes (PCS), mantidos em suas propriedades.

A produção de mudas nativas também é prática comum neste setor. Espécies como Araucária angustifólia, Ocotea porosa, Cedrella fissilis, Tabebuia alba, entre outras, são algumas das espécies nativas cultivadas e utilizadas para o adensamento das áreas de preservação permanente, áreas de recuperação e também doadas para escolas e municípios.

 

 

FLORESTAS DE ALTO VALOR DE CONSERVAÇÃO

A manutenção de florestas naturais na área florestal resultou em diversos remanescentes de florestas de Alto Valor de Conservação, compondo assim o mosaico em que também se encontram as florestas produtivas. A avaliação da flora existente nesses locais oferece subsídios técnicos que são utilizados na busca de medidas para melhorar as condições de desenvolvimento, biodiversidade e conectividade dos ecossistemas naturais, garantindo a manutenção e a potencialização das características destas florestas. Diante disto, a empresa vem realizando trabalhos técnicos específicos em parceria com pesquisadores e universidades, objetivando o levantamento florístico, monitoramento fitossociológico e análise de ecologia da paisagem.

 

ÁGUA

A ADAMI reconhece a importância dos recursos naturais e com essa preocupação, vem acompanhando os diversos questionamentos da sociedade civil a respeito de impactos ambientais que possam ser gerados sobre recursos hídricos, especificamente, no que se refere à demanda hídrica e a qualidade da água que drena as áreas de produção florestal em relação ao manejo de florestas plantadas.

Estes questionamentos na maioria das vezes são levantados e abordados sem argumentação científica e, buscando respostas, a Adami S/A firmou um convênio com a Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Engenharia Florestal, Campus Frederico Westphalen (CESNORS/UFSM). A partir da assinatura deste, a empresa vem desenvolvendo em suas áreas, mais precisamente na bacia do Rio Chapecozinho, região de Passos Maia e Ponte Serrada, um projeto denominado Dinâmica Hidrológica e Monitoramento de Parâmetros Qualitativos da Água do Deflúvio de Microbacias Reflorestadas com Pinus taeda L., sob a coordenação do corpo técnico e científico desta universidade. Deste modo, em alguns anos, teremos respostas concretas que esclareçam as dúvidas da sociedade, exaltando a preocupação com o ser humano e o meio ambiente.

 

PROTEÇÃO AMBIENTAL

Anualmente, cerca de R$ 300 mil são investidos nas áreas de proteção e conservação ambiental da empresa. Esse valor é aplicado em segmentos para manutenção de convênios e parcerias com Universidades, Institutos de Pesquisas, Instituições de Segurança, Polícia Ambiental, certificações, entre outros.

Como forma de trabalhar a conscientização e educação ambiental, a Adami mantém em uma de suas propriedades, na Fazenda Pedra Branca, a Trilha Ecológica Caminhos das Águas. Com um percurso de quase dois quilômetros, o local é cercado por dezenas de espécies nativas e pelas águas do Arroio Castelhaninho, com a formação de quedas d’água em seu trajeto desaguando no Rio Castelhano

Os passeios ecológicos são organizados tanto pela Polícia Ambiental como pela Adami visando a educação ambiental para escolas e comunidades do município de Caçador. Além da interação com a natureza, a identificação das árvores com seus nomes comuns e científicos proporciona grande aprendizado aos visitantes, que têm a oportunidade de conhecer mais sobre as espécies nativas e os remanescentes naturais da região.